Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

Chérie, hoje apetecia-me ver... Legend

Foi já há alguns meses que partilhei convosco a minha vontade de ver este filme, quer pela história, quer pelo actor principal, quer pelo realizador - posso dizer que as minhas expectativas eram bastante elevadas. 

Legend, traduzido para Lendas do Crime em território luso, é um filme britânico de 2015, dirigido por Brian Helgeland (L.A. Confidential) e estrelado por Tom Hardy que, interpreta os temíveis irmãos Kray.

legend_ver3.jpg

Reggie Kray (Tom Hardy) é o mais ponderado dos gémeos, dono de casinos, clubes noturnos e um punhado de negócios menos legais. Ronnie Kray (Tom Hardy) é doente psiquiátrico, esquizofrénico, encontrando-se numa instituição adequada até que Reggie o consegue "libertar". Juntos formam uma equipa que, através de homicídios, extorsões e vários outros crimes, procura dominar a capital britânica. Ao longo de cerca de duas horas acompanhamos a ascensão dos infames gémeos Kray que culmina com a sua detenção. A história é contada do ponto de vista de Frances Shea (Emily Browning), namorada e, depois, esposa de Reggie Kray, que assume aqui o papel de narradora. É através dela que nos são relatados todos os crimes dos Kray, assim como todos os aspectos das suas vidas pessoais. 

Tom Hardy tem aqui uma excelente oportunidade para brilhar, mostrando a sua enorme versatilidade, uma vez que, apesar de gémeos, os Kray eram bastante distintos, física e psicologicamente. Enquanto a Reggie, o actor atribui um tom de voz mais sensato e uma aparência mais charmosa, a Ronnie é atríbuida uma cotação mais selvagem e um aspecto mais grosseiro e intimidante. Também Emily Browning está de parabéns, quer pela forma como vive e desenvolve a sua personagem, quer pelo tom de voz com que nos conta a história, que nos faz sempre querer ouvir a palavra seguinte. A banda sonora e a realização estão igualmente excelentes, uma vez que, Brian Helgeland nos mostra todo o realismo mágico envolvido nesta época e nestas carismáticas personagens. 

 

Classificação: 8/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.