Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

Chérie, hoje apetecia-me ver... Trumbo

Quando se fala em Bryan Cranston, a associação a Walter White e Breaking Bad é inevitável. No entanto, em Trumbo, o actor entra num registo totalmente diferente, valendo-lhe a nomeação para a estatueta dourada de melhor actor principal. 

trumbo.jpg

Realizado por Jay Roach (responsável por Meet the Parents e Meet the Fockers), aborda parte da vida de Dalton Trumbo, um famoso argumentista de Hollywood nas décadas de trinta a setenta. Apesar de hoje lhe reconhecermos o enorme mérito, pois foi responsável por sucessos inegáveis como Roman Holiday (com Audrey Hepburn), nem sempre foi assim e, numa América marcada pela guerra fria, Trumbo passou por uma fase complicada. Como consequência da guerra fria, todos os membros do partido comunista americano eram vítimas de perseguição, como foi o caso de Trumbo e outros nove argumentistas. Apelidados de Hollywood Ten, esses dez argumentistas foram chamados a depor perante a câmara de representantes, dirigida pelo Senador McCarthy (responsável pela "caça às bruxas"), sendo que Trumbo chegou a ser detido. Após regressar à vida normal, ninguém o empregava devido às suas convicções políticas, pelo que, teve de usar pseudónimos para continuar a vender os seus fantásticos argumentos. Nesta fase da sua vida escreveu The Brave One, sob o pseudónimo de Robert Rich, originando a primeira vez que um Óscar não foi reclamado.

Apenas em 1960, com o filme Exodus e o apoio/publicidade de Kirk Douglas, saiu da so-called lista negra, conseguindo exercer a sua profissão. No entanto, devido a toda esta história infeliz, o merecido Óscar por Roman Holiday apenas lhe foi atribuído postumamente, em 1993. 

Com actores de excelência, Trumbo destaca-se tanto pela história de injustiça e opressão de escolhas, como pelo carisma que Bryan Cranston imprime na personagem. Não é o filme do ano, não tem uma realização excelente, não se destaca, de todo. Porém, pela interpretação do actor principal e pela história comovente/revoltante de Dalton Trumbo, vale a pena ver. 

 

Classificação: 7/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.