Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

Chérie, hoje apetecia-me ver... Woman in Gold

Woman in Gold (2015) é o filme de Simon Curtis que, procura contar a história verídica de Maria Altmann, interpretada por Helen Mirren.

woman-in-gold_poster.jpg

Esta é uma refugiada judia que vive em Los Angeles. Aquando do falecimento da sua irmã Louise, Maria descobre que os retratos que se encontravam em sua casa na Áustria, antes da ocupação alemã na Segunda Guerra Mundial, foram roubados pelos Nazis. Assim, passaram ou a fazer parte de colecções privadas ou foram vendidos a museus. Esta última situação aconteceu ao quadro “Woman in Gold” de Gustav Klimt, em que a modelo era a tia de Maria – Adele Bloch-Bauer.

woman-in-gold-use.jpg

É então que começa a luta de Maria, aliada a um advogado, filho de uma amiga – Randy Schoenberg (Ryan Reynolds) – também ele de descendência judaíca. Através de processos legais, os protagonistas rapidamente compreendem todos os obstáculos e que não será fácil ultrapassá-los. A dada altura ambos são obrigados a desistir da recuperação do quadro, quando se vêem incapazes de superar as dificuldades. Porém, Randy consegue contornar os obstáculos e apresenta uma nova frente de combate a Maria, que inicialmente se demonstra relutante, acabando por aceitar a sugestão do advogado. Tal acontecimento dá ínico àquilo que ficaria históricamente conhecido como “Republic of Austria vs. Altmann”, o processo em que Maria defronta o estado austríaco na esperança de recuperar o quadro que em tempos pertenceu à sua família.

Não se tratando apenas de uma luta pelo bem material que o quadro representa, a protagonista procura encerrar um capítulo da sua vida que ainda se encontra bastante marcado: o momento em que lhe tiraram a possibilidade de viver no seu país, junto daqueles que amava, a necessidade de fugir com o marido, deixando os pais para trás. Num filme extremamente marcado pelas origens pessoais assistimos a uma luta interior na personagem Randy, que inicialmente se interessa pouco pelo caso, mas acaba por compreender que as razões que o ligam ao mesmo vão muito para além do seu entendimento.

Nova Imagem2.jpg

Com um elenco excelente, este filme peca na medida em que, por vezes, as transições temporais (jovem Maria vs. Maria “actual”) são abruptas, transmitindo uma sensação pouco suave ao espectador.

 

Classificação7/10