Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

Séries da minha vida #5 - Band of Brothers

Recentemente acabei uma demanda que havia começado há algum tempo: ver a mini-série Band of Brothers, em português, Irmãos de Armas. Produzida por Tom Hanks e Steven Spielberg em parceria com a HBO, foi lançada em 2001, tendo sido já exibida em inúmeros canais de TV um pouco por todo o mundo.

6ce9d_ORIG-band_of_brothers_show.jpg

A história abordada nesta grande obra remonta ao período conturbado da Segunda Guerra Mundial, contando a história da Easy Company, parte da 101ª Airborne Division, do Exército dos Estados Unidos da América. Composta por 10 episódios com cerca de uma hora cada um, procura dar a conhecer ao espectador uma parte deste grande conflito que nem todos conhecem. Começamos logo no primeiro episódio a conhecer o percurso da Easy Company durante os treinos de pára-quedismo em Camp Toccoa, Geórgia, a base de treinos. Conhecemos aquelas que virão a ser as personagens principais – Tenentes Dick Winters e Lewis Nixon – que se encontram sob ordens do Capitão Herbert Sobel (interpretado por David Schwimmer, o Ross de Friends), o rígido comandante da companhia. Das suas acções dependem os acontecimentos consequentes e também o futuro dos homens que virão a protagonizar o desembarque na Normandia, o tão famoso D-Day. A história segue o seu rumo natural, fazendo jus àquilo que realmente se passou nos terrenos europeus, porém, não me vou alongar com explicações, por forma a não estragar a série àqueles que, tal como eu, não conheciam os acontecimentos e os feitos da 101ª.

Nova Imagem.jpg

 

A mini-série baseia-se no livro homónimo de Stephen Ambrose, que conta a história da Easy, e de todos os momentos por ela vividos – Operação Market Garden, Batalha do Bulge, etc. Ambrose escreveu o livro tendo como ponto de partida entrevistas e relatos de veteranos da referida companhia, que aparecem igualmente na série, narrando os acontecimentos e partilhando a sua visão pessoal.

Ganha destaque muito devido à fidelidade e à veracidade dos acontecimentos (apesar de isto ser contestado por alguns críticos mais rígidos). Mas também devido à excelente realização e efeitos utilizados. Não se olharam a custos, é verdade (125 milhões de dólares), mas o resultado é fascinante, excelente e contagiante! Interpretações soberbas associadas a uma produção tremenda! Gostei imenso e apesar de não me ter cativado logo de início, pois são muitas personagens, muita coisa para percepcionar, acabou por conseguir a minha atenção, levando-me ao êxtase sobretudo nos dois episódios finais.

Classificada no IMDb com 9.6, eu dou-lhe:

 

Classificação: 9/10

 

P.S – Em 2010, foi produzida uma nova série dentro do tema – The Pacific.