Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

La Vie en Chérie

Para os apaixonados por moda, cinema, livros e por uma vida doce e divertida

Séries da minha vida #24 - Unbreakable Kimmy Schmidt

Na passada quinta feira vi uma série inteira. (Sim, eu sei que tenho alguma espécie de condição psicológica). Vá, a série também só tinha uma temporada. Sim, e essa temporada só tinha treze episódios de trinta minutos cada um. Não foi nada do outro mundo, foram sensivelmente seis horas e meia da minha vida (o que é isso para uma seriófila?).

Passando à frente o discurso da praxe, a série foi Unbreakable Kimmy Schmidt, a nova produção de Tina Fey, em colaboração com Robert Carlock.

 UNBREAKABLE1.jpg

Devido ao enorme sucesso de 30 Rock, a produção anterior de Tina Fey, que também fazia parte do elenco, senti uma enorme vontade de ver esta nova série. Unbreakable Kimmy Schmidt conta a história de Kimberly Schmidt (Ellie Kemper), uma jovem que viveu quinze anos aprisionada por um auto-proclamado reverendo, que lhe disse que o mundo tinha acabado e que viviam na era pós-apocalíptica. Juntamente com Kimmy viviam mais três prisioneiras que, tal como ela, acreditavam que o mundo tinha acabado e que eram as últimas sobreviventes. No primeiro episódio assistimos à libertação das vítimas, sendo que ao longo dos treze episódios que compõe esta primeira temporada assistimos à sua adaptação ao mundo real. Presenciamos as aventuras de Kimmy, que arranja um colega de casa deveras singular – Titus Andromedon (Tituss Burgess) – e a patroa mais snob do mundo (Jane Krakowski).

A protagonista vê-se então obrigada a reaprender tudo acerca da realidade, entrando muitas vezes em situações constangedoras (mas deveras engraçadas).

Nova Imagem.jpgAo contrário de 30 Rock, Tina Fey apenas participa em dois episódios. Esta sua nova produção peca bastante no factor comédia, em comparação com 30 Rock, sendo a actriz Ellie Kemper responsável pela maior parte dos risos e gargalhadas. Outra actriz neste papel tornaria a série impossível de ver, no entanto assim permanece apenas no patamar do razoável.

O grande ponto forte, que me pôs a rir antes de cada episódio é o genérico, que partilho aqui convosco:

Classificação: 6/10